• English
  • Traduzir site para Espanhol

A PRÓXIMA VÍTIMA PODE SER VOCÊ

O papel de vítima tem lá suas vantagens. Por exemplo, geram simpatia. A D. Ana, do cafézinho vai sempre servi-lo primeiro.  V. dificilmente será lembrado para realizar tarefas importantes, porque vítimas não costumam ser eficientes, mas pense bem, até isso pode ser uma vantagem. Já pensou que delícia? Com exceção das pessoas caridosas, todos os demais vão esquecer de você. 

Vítimas nunca são responsáveis por nada. É sempre a conjuntura, a concorrência, o chefe. E mesmo se V. foi vítima de uma dor de barriga, em princípio V. não tem nada a ver com isso.

Dá até para manipular alguns incautos. Quem sabe se aquela selecionadora de pessoal não vai ficar com pena de V, que não estudou porque estava esgotado de tanto trabalhar?

Não acredite nessas balelas, tipo “as empresas precisam de pessoas que resolvam situações, não que justifiquem seus erros”. V. sempre vai encontrar alguém com o coração mole para deixá-lo sossegado.

Quer cultivar seu papel de vítima? Então não se esqueça:

ESTEJA CERCADO DE OUTRAS VÍTIMAS  

Já reparou como é gostoso? Quando duas ou mais vítimas se encontram, a conversa rapidamente cai sobre os culpados. Esse papo gera um alívio tão grande…

CULTIVE MÁGOAS E RANCORES 

Lembre-se sempre do mal que lhe fizeram, aproveite para reforçar a sensação de impotência. Se, por exemplo, alguém roubou sua ideia, fique ressentido a ponto de não conseguir criar mais nada.

AMPLIE OS PROBLEMAS

 A vítima é a pessoa que acredita que todos os problemas são maiores do que sua capacidade de solucioná-los. Viu que fácil? Transforme seus desafios em situações aterradoras, nem se lembre de suas competências ou de que pode se preparar ou pedir ajuda. Deixe que a dificuldade tenha o efeito de um gás paralisante. Alguém vai se compadecer e realizar suas tarefas. E caso essa pessoa acabe ocupando o seu cargo, V. terá o resto da vida para se queixar.

motiv_vitima

 MOSTRE COMO É COITADO 

 Por exemplo, ao discutir salário, faça uma lista de suas necessidades pessoais. Diga que ajuda seu cunhado, que seu filho está louco para ter uma nova TV. Não mencione suas contribuições para com a empresa, nem dê a entender que vai ser vantajoso para a empresa remunerá-lo bem.

 JAMAIS ASSUMA SEUS ERROS 

Pessoas que assumem seus erros tendem a corrigi-los. Isso não serve para as vítimas. Ao culpar os outros ou as circunstâncias V. estará demonstrando que em situações semelhantes agirá da mesma forma. Olha só que alivio para seus concorrentes!

 NÃO SE APROFUNDE EM ANÁLISES  

As situações atuais são complexas. Dificilmente um problema tem uma única causa ou um erro tem um único culpado. Mas não faz mal: é chique ser vítima de uma capacidade de percepção reduzida. Dá sempre para dizer “Como é que eu ia saber? ”

EVITE DAR SUA OPINIÃO 

Parta do princípio que ninguém vai levá-lo a sério. Considere também que contestar dá trabalho. Se V. estava com a razão, vai poder gozar sozinho as delícias de dizer “eu sabia! ”

 EVITE FALAR DE SEUS SENTIMENTOS  

Se algo o incomoda, fique na sua. Deixe a situação incomodá-lo até o martírio. Agora, culpar alguém por não ter adivinhado seus sentimentos já é demais!

Vítimas têm o poder de aborrecer pessoas, manipular familiares e prejudicar empresas. Só há um problema: nada se compara ao dano que uma vítima causa a si mesma.