• English
  • Traduzir site para Espanhol

Os principais personagens da mudança

Nem se discute mais: num processo de mudança, apoio da cúpula é fundamental. Mas, à medida que as organizações se democratizam, o papel dos agentes de mudança se torna cada vez mais importante.

Sejam eles líderes formais, como os gestores, ou informais – no caso, qualquer colaborador que tenha capacidade de influenciar os demais – vale a pena uma reflexão sobre os diferentes tipos de agentes de mudanças e quando devemos recorrer a cada um deles.
 

mudancas_principais


Pensando nisso, pincei os tipos de agentes de mudanças mais conhecidos, que descrevo a seguir:


EARLY ADOPTERS

O termo é extraído do mundo das inovações tecnológicas, mas é visivelmente detectado no mundo da moda e até entre cinéfilos.

Ele descreve as pessoas para quem o novo já é um valor em si. Ao aderir a uma inovação, o early adopter sente-se parte de uma elite e terá todo o prazer do mundo em demonstrar sua capacidade de ser o primeiro a ter acesso a grandes inovações.

Ele ajuda o processo de mudanças numa empresa justamente por sua rápida adesão e capacidade de dar feedbacks.

O early adopter ajuda a mudança ao ser imitado, mas não conte com ele para promover a transformação: o genuíno early adopter quer continuar sendo único, e quando os demais aderirem às mudanças, ele já estará interessado em outras novidades.

EVANGELISTAS

Este termo já transcendeu o universo das igrejas, e agora descreve qualquer pessoa que tem prazer e habilidade em convencer os demais.

Estimular e prover reconhecimento a essas pessoas pode realmente acelerar um processo de mudança. Mas alto lá, o evangelista precisa estar convicto, precisa ter comprado a ideia. Com o potencial que tem, pode também influenciar rumo a não mudança, caso não concorde com ela.

CONQUISTADORES

Pense em um sedutor barato, daqueles que adoram conquistar mocinhas pudicas. O conquistador é aquele que tem a capacidade de mudar hábitos e valores das pessoas mais empedernidas e não costuma desistir facilmente.

Ele pode ajudar uma empresa dedicando-se às pessoas mais resistentes, mas pode ser uma presença negativa caso queira promover comportamentos que estão desalinhados com os valores da organização.

CUIDADORES

Se a mudança na empresa envolver alguma dor, como o downsizing, alguns colaboradores vão precisar de colo.

É aí que entra o cuidador, a pessoa com real vocação para elevar a motivação e autoconfiança dos demais. O cuidador pode atuar junto a equipes ou apenas com determinadas pessoas, mas precisa interferir na dose certa: os colaboradores não podem ser infantilizados e precisar de socorro sempre que uma mudança ocorrer.

VISIONÁRIOS

São as pessoas que conseguem obter adeptos a uma grande causa. Se a mudança em sua empresa envolver questões ligadas a meio ambiente ou questões sociais, por exemplo, os visionários terão o maior prazer em contribuir.

Eles costumam ser carismáticos e hábeis no storytelling e outras formas de conquistar corações, mas vão cobrar resultados e coerência por parte da empresa.

Você consegue identificar os personagens descritos dentro da sua organização? Conhece outros? Participe expondo nos comentários a sua relação com os diferentes agentes das mudanças dentro das empresas.

Leia mais em O Poder dos Early Adopters